Você tem idéia de como vai trabalhar sem energia ?

29 de abril de 2016

Desde o início do ano tenho escrito sobre o Plano de Continuidade de Negócios, sem conseguir sensibilizar o empresariado brasileiro, que
considera apenas os desastres naturais como possíveis causadores de paradas em seus negócios. Com o racionamento de energia sendo diariamente noticiado, esta idéia está se modificando. A grande pergunta-chave é: você está preparado para trabalhar sem eletricidade ?

Tenho me esforçado em transmitir aos leitores a idéia de que um Plano de Continuidade de Negócios não é exclusividade de um segmento
empresarial, tampouco resultado de medidas de resposta a Eventos específicos. Infelizmente, como eu já disse em outro artigo, o brasileiro
é um povo que só troca a fechadura depois que o ladrão descobre que está com defeito…

O PCN (Plano de Continuidade de Negócios) é um Processo, elaborado de acordo com informações levantadas junto a cada um dos gestores de processos da empresa. Estas informações indicam basicamente duas coisas: a prioridade de restauração de processos e o seu respectivo custo de parada. Isto, por sua vez, guia o consultor de PCN, que trabalha focado nos principais processos de negócio da empresa.

Usamos palavra “Processo”, pois um PCN não possui um início, meio e fim. Ele é contínuo. Ele é dinâmico, sendo atualizado de acordo com as mudanças da própria Empresa. Não se pode contar com atividades de restauração de processos, se o responsável indicado no PCN pediu demissão há seis meses….O PCN deve se manter atualizado a respeito da realidade da Empresa.

Um PCN não é uma metodologia “engessada”. Muito pelo contrário: admitindo-se que o consultor responsável pela sua condução possua o “expertise” necessário para identificar e analisar o principal negócio do seu cliente, ele poderá desenvolver um projeto de PCN segmentado, onde cada setor da empresa possui um PCN próprio.

Na verdade, este seria o ideal, haja vista as características próprias de cada Setor. Por exemplo: os processos executados pelo setor de produção de uma empresa não tem absolutamente nada a ver com os processos desenvolvidos pela tesouraria. Ou por RH !

Cada setor da empresa possui prioridades e missões próprias, focadas na sua atividade-fim. Pensar de outra maneira, seria utopia.

A mídia, em geral, tem apresentado um quadro de calamidade, baseado nas estimativas apresentadas pelo próprio governo e por especialistas. Até o momento, não soube de ninguém comentando a respeito de soluções. Será que estão aguardando o governo se manifestar, propondo paliativos ?

O PCN é a solução mais racional e econômica para as empresas se prepararem para a situação de contingência que será provocada
pela falta de energia. Seja em momentos de apagão ou de blecaute. Na verdade, considerando-se os possíveis meios de resposta a crises, este é o meio economicamente mais viável.

Você já comprou um gerador ? Quem será o responsável pela sua manutenção, enquanto não estiver sendo utilizado ? E quando estiver
em funcionamento, será manipulado por quem ? Você já planejou a quantidade de combustível de reserva que vai ser armazenada ? E o
local de armazenagem, será dentro da empresa ? Este gerador irá alimentar toda e empresa ou será destinado a componentes (micros e central telefônica) específicos ? De que forma o gerador será acionado, quando faltar energia: imediatamente ou haverá uma carência de tempo até o seu acionamento ?

Um PCN aborda todas estas questões, para minimizar o tempo de resposta da empresa, promovendo a economia de recursos por consequencia. O bom-senso indica que não podemos ficar impassíveis, aguardando o momento de crise. Como em todo processo de Planejamento Estratégico, devemos considerar as mudanças de cenários, as nossas fraquezas e forças. As oportunidades e ameaças.

Digamos que você tenha corrido e comprado um gerador para sua empresa não ficar sem trabalhar. Entretanto, este gerador foi comprado
de acordo com especificações fornecidas pelo vendedor, baseado nas informações prestadas por você, sobre as necessidades da empresa.

Você indicou uma pessoa que será a responsável pela manutenção e acionamento do gerador. Entretanto, no primeiro dia de corte na energia, o funcionário indicado faltou. Ele não foi trabalhar, devido a problemas de saúde. E nem você sabe o que fazer… De que adiantou imobilizar recursos, se não é feito o respectivo planejamento de sua utilização ?

Lembre-se: um PCN pode acabar sendo a diferença entre a sobrevivência ou parada da sua empresa.